quarta-feira, dezembro 21, 2005


O BRASIL E O PROJECTO DE UM SUBMARINO NUCLEAR

Como se sabe existe no Brasil por parte do poder politico e das chefias da marinha desse país sul americano, um velho projecto, que se espera ver materializado em 2020 para a construção de um submarino movido a propulsão nuclear, não obstante os grandes avanços que nos últimos anos têm relativamente aos sub’s convencionais, que viram as suas capacidades de autonomia grandemente melhoradas com a introdução dos chamado sistema AIP.

Pretenderá o Brasil com essa capacidade, melhorar a sua capacidade na arma submarina, embora tenha neste momento os Tupi e o recentemente incorporado Tikuna, baseado num desenho da “escola” alemã.

Partindo do princípio de que o que se tem é para ser potencializado e usado num teatro de conflito, penso que um sub com essa capacidade só se justificará para cenários de guerra total, e se equipados com capacidade para lançamento de mísseis de cruzeiro Tomahawk ou outros, recuperando-se a velha máxima de que a melhor defesa é o ataque.

Ora se assim for, parece que o Brasil prefere ser temido que amado ou respeitado, numa atitude algo maquiavélica, adaptada aos novos tempos, sem que o Brasil esteja inserido numa região “quente” do globo, e sem que o Brasil se constitua em mais que uma simples potência regional, mercê do seu enorme tamanho e população e por estar no grupo dos 10 países mais industrializados do planeta.

Mas não é nem nunca foi uma potência militar, e muito menos com ambições geo-estratégicas à escala global.

Nunca foi um país tradicionalmente interventivo nos conflitos internacionais, só ou em aliança.

Não tem uma parceria estratégica para a Defesa nem está inserido numa organização defensiva.

Eu tenho dúvidas de que o poder político e as chefias da MB pensem que venha a ter esse papel de país interventivo, porque seria o pior caminho para o Brasil em adquirir sub's nucleares com mísseis de cruzeiro, sejam americanos ou russos para os armar.

Seria uma política suicidária no plano de um contexto internacional, levantando desconfianças entre os seus vizinhos, e dando uma volta de 180 graus na tradicional política externa defensiva e pacífica brasileira.

Atacar o inimigo no seu próprio quintal, argumentando que o ataque é a melhor defesa, é uma atitude e doutrina perigosa e seria necessário que o inimigo estivesse previamente identificado.

Mesmo que o Brasil possua um dia 4 sub's nucleares nunca poderia bater-se de igual para igual com os EUA, ou com a NATO.

De que adiantaria afundar um ou dois destroieres Arleigh Burke, um Tico ou um LPD, ou mesmo danificar um CVN Nimitz, se isso não faria a balança virar a favor do Brasil?

Ou pretenderá defrontar a vizinha Argentina com as suas fragatas Meko360 e os TR-1700?

De que tem o Brasil medo?

Já identificou o seu potencial inimigo?

E para um potencial embora improvável conflito regional em que o Brasil tivesse inimigos na área geográfica em que está inserido, julgaria mais avisada a aposta na construção de mais Tikuna's que gradualmente substituiriam os Tupi's, e que pudessem comprar 4 U 214 ou Scorpéne de última geração.

Bastaria isso, que somando a uma frota de superfície constituída por unidades navais modernas tornariam o Brasil no líder incontestado da AL e no Atlântico sul.

Se potenciassem essa capacidade com uma aliança estratégica com outro país ou organização defensiva, seriam praticamente imbatíveis, se exceptuarmos os EUA e eventualmente a Rússia.

O que acontece é que se parecem estar a armar para mostrar material no porto e fazer umas viagens para mostrar bandeira pelo mundo.

Porque não estou a descortinar oportunidades concretas e ameaças reais que justifiquem esse investimento de há 20 anos, à custa de um envelhecimento gradual e perigoso da sua frota oceânica de superfície.

O que eu consideraria mais realista para um horizonte de 15 anos:

Dado que os Tupi são relativamente novos, poderia ser-lhes adaptados sistemas AIP.

Mas eu consideraria que os Tupi, dada a sua pequenez deveria manter-se no seu actual estado, serem sujeitos a boas manutenções para fazer um patrulhamento das águas e ajudarem em escoltas para forças tarefa.

No caso do Tikuna, desejaria que se construíssem pelo menos mais 3 unidades, com AIP.

E que até 2020, o Brasil possuísse uma frota complementar de 4 U-214, pelo que ficariam com uma força de 8 sub's verdadeiramente oceânicos, e mais os velhos (nessa altura) Tupi para reserva.

Julgo que uma força de 8 submarinos, sendo que 4 deles fossem de última geração, constituiriam uma capacidade verdadeiramente dissuasora, numa base defensiva, e se somada a uma capacidade oceânica de superfície mais modernizada.

Não me parece que dado o actual estado da marinha Brasileira, se somada ao estado dos outros ramos das suas FA’s, o Brasil vá por bom caminho se tentar dar m passo maior que o que as suas pernas o permitam.

32 Comentários:

At sexta-feira, 23 de dezembro de 2005 às 02:18:00 WET, Blogger Ministério Público said...

O imperialismo brasileiro, iniciado com D. João VI - o nosso que fugiu - ainda nao acabou. OI que m,e espanta é que a pobreza da maioria da populaçao brasileira nao comova ainda a comunidade politica brasileira que é corrupta.

cumprimentos

http://idadedoferro.blogspot.com

http://annalesnonfabulae.blogspot.com

 
At sexta-feira, 23 de dezembro de 2005 às 12:15:00 WET, Blogger Rui Martins said...

As despesas militares na América do Sul são sempre dificeis de justificar dada a existência de conflitos regionais significativos.

Contudo, existem pontos de conflito em potencia. A opção militar dos EUA contra a venezuela e agora a Bolívia não deve ser descartada e o próprio Brasil pode ser colocado na lista, se Lula fosse menos liberal do que é (como parecia ser).

Um submarino nuclear poderia neste contexto de ameaça americana ser decisivo para manter longe os PA americanos...

 
At sexta-feira, 21 de abril de 2006 às 07:21:00 WEST, Blogger Saci said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At sábado, 22 de abril de 2006 às 19:01:00 WEST, Blogger Lontra said...

Imperialismo brasileiro? Pronto, agora os imperialistas somos nós. Primeiro, o Brasil, que um pobre de espírito aqui acusou de imperialista, é hoje um país independente, mas, como vocês sabem, já foi parte do Império de Portugal. Segundo, até onde sei, imperialistas são os EUA, não o Brasil. Terceiro - e este é para o autor do post -, para falar de um outro país que não o seu, seja responsável; não saia falando coisas das quais você não sabe, pois, pelo que me parece, além de não ser brasileiro, você não é militar, é apenas mais um bobo entre os milhares de aficcionados por assuntos militares. Quinto, uma pessoa que cultua os EUA e a Rússia não me parece ter personalidade. Sexto, o Brasil não aspira ser potência militar; quer apenas ampliar a sua capacidade de defesa. Sétimo, o Brasil não será eternamente uma "simples potência regional". Último, não se preocupem com os assuntos militares pertinentes ao Brasil; deixem isso para os brasileiros.

 
At segunda-feira, 1 de maio de 2006 às 04:37:00 WEST, Blogger brazilian navy said...

A Marinha do Brasil,apesar das reduções orçamentárias desde o fim da ditadura militar ainda é a maior força naval de todo o cone sul. em relação ao programa de submarinos brasileiros, nós temos dois projetos: o de propulsão convencional na qual se pensa-se em construir até 6 unidades classe S-MB-10, e o de propulsão nuclear na qual 1 unidade esta prevista para construção. cabe lembar que nós ja temos 5 submarinos convencionais de classe IKL-209(Tupi) de tecnologia alemã, que foram construidos no Brasil.
no total a frota de submarinos da MB saltará para 11 unidades. o submarino nuclear é um projeto de varios anos e que devido a falta de verbas tem efetuado relativo atraso em seu cronograma. cabe lembrar que na década de 1980 o brasil planejava que por volta do ano 2000, o brasil contaria com 18 submarinos convencionais e 1 nuclear de ataque, mas este cronogama não engatou. agora novamente a Marinha do Brasil tem lançados grandes esforços nesse projeto de submarinos. em relação aos seus comentarios, eu respoderei em varios sentidos: (1)nós realmente nunca fomos uma grande potencia militar, mas sempre tivemos uma capacidade de projetar e construir armamentos bélicos que de causar inveja em muitos países da Europa,(inclusive Portugal)e do resto do mundo;
(2) o Nossa Marinha já mais cometeria a loucura de querer defrontar com a gigantesca e poderosa Marinha de Guerra dos Estados Unidos, a não ser para defesa de nossa nação;
(3)em relação à supostos inimigos, O Brasil não tem mesmo nenhum, e nós brasileiros nos orgulhamos de nossa postura pacífica. só que vale lembrar que a maioria dos conflitos que aconteceram, foram todos inesperados. podemos citar o da Guerra das Malvinas, o da Bosnia e a invasão do iraque;
(4) o Brasil deseja ocupar uma cadeira permanente no conselho de segurança da ONU, e para isso tem que dispor de forças modernas para que as missões sejam desempenhadas com mais eficiência.
(5) vocês portugueses querendo ou não, um dia não muito distante,verão o brasil entrar no seleto grupo de países que possuem submarinos nucleares, como : EUA, Russia, França, Inglaterra, China e futuramente India e Brasil.
(6) cabe lembrar que o submarino "SSN" brasileiro, será apenas movido a propulsão nuclear e não irá dispor de mísseis com ogivas nucleares por dois motivos: a constituição brasileira só permite o uso de qualquer material nuclear, apenas para fins pacífico. o Brasil assinou um acordo internacional da não ploriferação de armas nucleares e honrará esse acordo.
(7)o Brasil em breve terá uma Marinha de categoria ocêanica, juntamente com a Inglaterra, França e India.
(8)como um país como o de Portugual, que pertence a OTAN , tenha um Marinha de Guerra tão fraca como a de vocês? se vocês fossem espertos, também traçariam os mesmos projetos do Brasil, pois a ausência de um inimigo não declarado, não quer dizer que um país esteja livre de supostas agressões armadas, pois nada ainda foi inventado no que identifique a traíção.
(9)lembrem-se portugueses: "quando o Brasil despertar, o mundo irá estremecer".

 
At terça-feira, 4 de setembro de 2007 às 20:06:00 WEST, Blogger arlindoreis said...

Existem pessoas que não enchergam um palmo além do nariz. Ou porque não param pra "mastigar direitinho" o que pensam, ou porque o grau de inteligência não permite concluir o óbvio. O Brasil como todos sabemos, não é um país com interesses militares de conquistas. Comparar o poderio militar de um Estado bandido que vive em guerra (EUA), impondo os seus interesses através da força, com o Brasil chega a ser infantil. O Brasil não precisa de um arsenal estupendo, já que está em paz, e não se sente ameassado, porém inteligentemente nossos militares sempre se ppreocuparam em desenvolver tecnologia bélica. Tecnologia é a chave.O Brasil talvez não faça tanta questão de ter o submarino nuclear, mas sim de desenvolverter a tecnologia necessária pra fabricar tantos quanto preciso na eventualidade de uma guerra.
O Brasil não necessita de ter centenas e centenas de aviões caças em angares, cuja manutenção consomem milhões e milhões, mas precisa ter tecnologia aeronáutica suficiente para projetar e produzir seus próprios caças na eventualidade de uma guerra. Não vamos nos esquecer que o Brasil hoje possui a quarta maior indústria aeronáutica do mundo. É muito mais negócio investir em tecnologia do que investir em arsenais. Se o governo iraquiano no lugar de queimar dinheiro em arsenais, tivesse desenvolvido tecnologia como a Coréia do Norte e o Irã vem fazendo, os americanos certamente não teriam invadido, e muitas vidas teriam sido poupadas.

 
At quinta-feira, 27 de setembro de 2007 às 16:28:00 WEST, Blogger Adilson said...

Os governantes Brasileiros me fazem rir!!!! Como um pais deseja integrar o conselho pemanente de segurança da Onu sendo que não possuimos nem uma centena de caças modernos ara nossa propria segurança frente a um aposssivel invasão estrageira? devemos sim investir na construção do submarino nuclear,pois somente com ele qualquer marinha mundial pensaria duas vezes antes de adentra em aguas brasileiras, o submarino convencional e facil de ser abatido pois fica vulneravel quando vem a superficie para reabastecer seu suprimento de ar.o Autor deste artigo e um verdadeiro jumento não concordo com nada que ele disse, somente com a tecnologia nuclear o brasil pode se impor regionalmente frente a venezuela,Bolivia e no futuro quem sabe os Americanos com sede de agua da Amazonia

 
At segunda-feira, 24 de dezembro de 2007 às 01:21:00 WET, Blogger sheila said...

se eu fosse o rei da espanha, mandava passar uma retro por cima de Portugal.
Seria o maior estacionamento do mundo.

 
At quarta-feira, 2 de janeiro de 2008 às 17:15:00 WET, Blogger Luís Fernando said...

Independetemente dos comentários ofensivos aos colegas lusitanos (gostaria de solicitar os meus colegas brasileiros que se abstenham de comentários carregados de xenofobia e comentários pejorativos; mantenhamos a diplomacia meus caros), gostaria apenas de fazer uma observação: ao desenvolver a tecnologia para propulsão nuclear o Brasil, via MB, visa não apenas construir um instrumento militar de dissuassão e com capacidade de projeção oceânica, mas também ter o konow how de uma tecnologia sensível cujas aplicações podem se dar não apenas no desenvolvimento de outras tecnologias militares, mas para fins civis também. Ter o conhecimento do ciclo completo do combustível nuclear é ter em mãos um ativo intangível de suma importância, algo que se nós não fizermos de maneira autárquica não nos será dado em ato de benevolência por nenhuma potência militar.
Ademais, gostaria de lembrar ao nosso colega lusitano que foi graças à tecnologia desenvolvida sob os auspícios de D. Enrique - o Infante - que Portugal, uma pequena nação ibérica no quadro europeu, pode singrar os mares e os oceanos do mundo, numa façanha só igualável aos Estados Unidos projetando-se sobre o espaço sideral.
Nós não temos inimigos hoje, mas o dia de amanhã continua nebuloso para qualquer país com o nosso tamanho, PIB, indústria, agricultura, tecnologia, população e detentor de inúmeros recursos estratégicos.

 
At domingo, 3 de fevereiro de 2008 às 03:00:00 WET, Blogger Emilio said...

Esse artigo do Rui Elias é antigo e espero que ele já tenha revisto suas posições e preconceitos, o Brasil não dá bola para os invejosos e segue passo a passo se preparando para defender suas riquesas à medida em que a falta de recursos como mínérios,água, alimentos e energia aumenta a cada dia e as fontes tradicionais começam a se esgotar. Nosso petróleo é retirado de águas profundas e precisa ser defendido, não é uma arábia mas é suficiente para nos deixar tranquilos e independentes, podendo até exportar um pouco para Portugal...
Submarino nuclear é essencial, mas é muito mais importante a conclusão em 2008 com apenas um pequeno investimento de 20 milhões de reais da capacidade de fabricar o hexafluoreto de urânio, indispensável para concluir o ciclo de enriquecimento de combustível nas ultracentrífugas mais avançadas do mundo, criadas pela Marinha Brasileira com tecnologia de levitação magnética, um acordo de parceria estratégica com a França que envolve tecnologia e cooperação militar estreita foi assinado este mês e em breve a visita à Rússia do Ministro da Defesa vai revelar mais novidades... Enfaixe seu cotovelo Rui Elias, passe um analgésico de uso local (tem Gelol aí em Portugal?) e tome uma aspirina pois dor de cotovelo (inveja,para quem não conhece nossa gíria)não passa nunca enquanto o caráter não melhora.

 
At segunda-feira, 24 de março de 2008 às 03:47:00 WET, Blogger ALEXANDRE said...

KKKKK... portuga invejoso.

 
At sexta-feira, 28 de março de 2008 às 02:40:00 WET, Blogger Marques said...

Esse português não conhece nem mesmo a história de seu país, quanto mais a nossa.

 
At sexta-feira, 28 de março de 2008 às 02:48:00 WET, Blogger Marques said...

O Brasil já foi potência militar sim. Na época do Império, com D. Pedro II, nossa armada era a segunda do mundo, só perdendo para a armada da Inglaterra. Ademais D. João VI queria ser brasileiro, ele amava o Brasil e não queria retornar a Portugal.

 
At domingo, 20 de abril de 2008 às 18:37:00 WEST, Blogger ALEXANDRE said...

Olá Rui Elias!

Já postei um pequeno comentário a respeito de sua opinião sobre o desenvolvimento do projeto de nosso submarino de propulsão nuclear, mas, gostaria de me fazer entender melhor, você nos fez relevância como “àquele país sul americano...” geograficamente correto, mas não somos só mais um país sul americano, somos o mais rico, o mais populoso e o de maior representatividade no cenário mundial globalizado; lembro-me agora, de um comentário feito por um militar amigo meu que compôs uma missão de paz em Angola, “nos entendíamos melhor com os coreanos do que com os portugueses, apesar da língua em comum. Como historiador, não posso deixar de dar valor à unidade territorial que vocês nos legaram, mas também, não posso deixar passar desapercebido, a herança medíocre que herdamos, como por exemplo: a desorganização administrativa e a burocracia entravacante de nossas instituições públicas, tudo é claro, mo melhor estilo português.
Mas, voltando ao meu amigo militar, ele falou-me que um militar português o indagou o seguinte: como vai nossa colônia? se eu estivesse em loco, teria respondido: como vai a sua metrópole? Claro! toda pessoa dotada do mínimo senso crítico histórico, sabe que para aquela época, os Srs. Portugueses estavam mais para colônia “política” da Inglaterra, do que para metrópole do Brasil. Admito que você é um interessado em questões náutico-militares, não quero ser xenófobo, nem alimentar discussões acerca de europeus x sul americanos, mas a verdade é uma só, cada qual no seu cada qual, queira ou não vocês portugueses, somos potência na América Latina, e como tal, devemos defender nossos interesses, temos em nosso território, a maior floresta tropical do planeta, a maior reserva natural de água potável, detemos a melhor tecnologia na produção de bio-combustíveis, a empresa com melhor tecnologia em prospecção de petróleo em águas submarinas (PETROBRÁS) e o que é mais importante, uma população jovem; como você subscreveu, “não é nem nunca foi uma potência militar” concordo, porém, temos a necessidade de nos tornar-mos, e você sabe disso.
Nosso país tem apenas pouco mais de duzentos anos de desenvolvimento, hoje somos a 8ª economia do globo, com um PIB de 1,8 trilhão de dólares anuais e vamos com certeza num futuro próximo nos tornarmos potência mundial, temos matéria prima, e estamos buscando novas tecnologias, temos a nossa própria tecnologia de enriquecimento de urânio, e a EMBRAER, indústria aeronáutica competitiva com líderes no mercado mundial; enfim, temos que tocar o nosso barco, só não aceito você fazer questionamentos a respeito de nossas necessidades como nação, aliás, não temos, nem teremos a benesse da UE (União Européia), em injetar dinheiro na nossa economia como fizeram com os Srs., sim... senão vocês ainda estariam vivendo do azeite e do vinho que produzem.
A Inglaterra ainda hoje agradece aos Srs. portugueses e espanhóis, por terem financiado a Revolução Industrial com o ouro retirado daqui e do México, contentem-se com o seu passado, pois, é só o que lhes resta de “orgulhoso”, pobre infante Dom Henrique... não imaginava que todos os seus esforços para tornar-lhes potência na navegação, serviriam aos interesses de outra nação, a Inglaterra. Daqui em diante, vocês nem sonharão em galgar patamares iguais aos nossos no cenário mundial, portanto não procurem opinar sobre nossos rumos na questão militar, e nem sobre o desenvolvimento de nossas tecnologias. Passar bem.

 
At sexta-feira, 6 de junho de 2008 às 01:10:00 WEST, Blogger linard said...

Gostaria de elucidar a memória do Rui (O português), que o Brasil hoje já pode ser considerada uma potência mundial apesar de nossas dificuldades.
Somente para lembra-lo. O Brasil possui a maior reserva de água doce do mundo e o maior percentual de água potável também, dado o fato que de todo o volume de água existente no planeta, apenas 3% dela serve para consumo. É no Brasil que temos a maior floresta tropical do mundo com o maior bioma já conhecido pelo homem. Estamos prestes a nos tornar uma potência na produção de petróleo com a descoberta das reservas da Bacia de Campos, considerada uma das maiores do mundo, além, é claro , de já determos a mais avançada tecnologia de prospecção de petróleo em águas profundas. Também somo detentores de tecnologia para a produção de Bio-combustíveis e sem precisar-mos degradar a Amazônia e nem comprometer a produção de alimentos como se vem falando mundo afora. Já detemos também, tecnologia para processar-mos nosso próprio combustível nuclear, desenvolvido com tecnologia inteiramente brasileira.
O Brasil é hoje considerado um dos maiores celeiros agrícolas do mundo na produção de alimentos e de deter alta tecnologia em sua agro-indústria.
E é por todos estes motivos acima alencados, que o Brasil deve sim ser o detentor de tecnologia para desenvolver o seu próprio submarino nuclear. Assim como também tem o direito e o dever de modernizar suas forças armadas para defesa de nossa soberania e nossos patrimônios naturais.
É certo dizer que o Brasil não é nem nunca foi uma potência militar . Mas é certo dizer também que somos um povo com tradição pacífica e sem uma política intervencionista pela força bruta, mas sim pela diplomacia e sempre em busca do entendimento e da paz, e disso o povo brasileiro se orgulha, posso grantir. É certo também que não temos inimigos declarados e nem ameças que nos impulsione a uma corrida armamentista, mas também não devemos cruzar os braços diante de tamanha riqueza que possuimos em nosso território.
o Brasil é um país com dimensões continentais, e isso, vale dizer, devemos aos portugueses, e para defesa de seu território, precisa que suas forças armadas sejam modernas e bem equipadas. Não queremos provocar nenhuma nação no mundo, e creio que seja uma opinião unânime por parte do povo brasileiro. Mas se em algum momento nossa soberania e nossa segurança for ameaçada, temos que estar prontos para nos defender-mos.
Como disse nosso presidente Lula: "Nenhum país no mundo tem moral para falar da Amazônia", e ai digo eu, nem de nosso assuntos militares, os quais só dizem respeito ao povo brasileiro e a ninguém mais.

 
At domingo, 15 de junho de 2008 às 02:02:00 WEST, Blogger Assis said...

Esse português, o Rui, deve voltar sua atenção para o seu quintal. Os Estados Unidos estão armando a Espanha "até aos dentes", e se Portugal bobear vai ser tornar colônia da Espanha novamente. Há um plano maquiavélico em andamento no mundo. Não é à toa que o Tio Sam está armando a Espanha. Eles estão induzindo a Espanha a reivindicar as terras amazônicas, alegando que foram enganados pelo rei D. João II na questão do tratado de tordesilhas e posteriormente com a união ibérica. Quem pensa que o Brasil não tem inimigos, está redondamente enganado. Todos esses hispânicos que nos rodeiam são nossos inimigos enrustidos. A Argentina tem olho grande nos estados do sul, A Bolívia e o Paraguai anseiam por uma saída para o oceano. Ao norte somos ameaçados pela França através de sua Guiana. Nossa amazônia está repleta de "missionários" estrangeiros, que na realidade não passam de espiões estrangeiros preparando o golpe da invasão. Sem contar os falsos patriotas, políticos corruptos e venais, que entregam a soberania de seu país por um prato de lentilhas. Nós brasileiros devemos, desde já, ficar atentos. A operação invasão já começou. É só aguçar os sentidos e perceber os sinais, pois as evidências estão aí, só um cego não as vê. Precisamos afiar nossas facas, colocar nossas barbas de molho, enfim, preparar nossas forças armadas, porque o momento está chegando.

 
At domingo, 15 de junho de 2008 às 20:38:00 WEST, Blogger Carlosarguspandragons said...

Amigos, tenho medo do q estes caras estão permitindo..concordo do o sr Assis; temos de nos preocupar com os movimentos a nossa volta, e com esses "missionários"/ong's destro da amozonia.Estamos mal , de píor a queda. Deveriamos até alugar (o termo da moda e o leasing?) como a india de akula dos russos..e p/ ontem.

 
At quinta-feira, 19 de junho de 2008 às 00:42:00 WEST, Blogger Marques said...

Enigma: Por que estão armando a Espanha???
A Espanha está quase se tornando a segunda força militar, convencional, da Europa. Atualmente, sua força aeronaval só perde para a da Grã-bretanha. Os Estados Unidos, nos últimos anos, vêm fazendo maciças transferências de armamentos convencionais para a Espanha. Este fato já está até suscitando preocupações em Portugal. Alguma "operação", no âmbito internacional está sendo tramada nos bastidores de uma sórdida política expansionista e agressiva, política esta que visa a manutenção do "status quo", ou seja, subtrair dos países, ora pobres, que têm potencial para se tornarem verdadeiramente soberanos no futuro, os seus territórios e suas imensas riquezas naturais. Primeiro eles devastaram seus próprios territórios, agora lançam seus olhos grandes sobre terras alheias. No limiar da antevisão do caos, tratam de tomar para eles, agora, o que certamente lhes faltará no futuro. E as populações nativas? aquelas dos países invadidos e dominados. O que acontecerá com elas? Querem saber? O mesmo que já aconteceu com tantas outras no passado. Foram exterminadas. No início eles invadem e fazem farta distribuiçao de "doce de coco". Aos poucos vão mostrando por que vieram, humilhando, escravizando e matando. E o pior de tudo, eu tenho certeza, contará com a ajuda preciosa de maus nacionais, que se mancomunarão com os interesses dos invasores em troca de benefícios próprios. Nós brasileiros estamos cercados, aquí na América do Sul, de falsos amigos. Na hora H, esses hispânicos mostrarão quem são realmente. E por que tudo isso? Já perceberam, através da história, que de tempos em tempos, estabelece-se uma nova "ordem mundial"? Pois é isso. Uma nova "ordem mundial" está sendo tramada nos bastidores daqueles que dominam o mundo. A "mais nova Ordem Mundial". E infelizmente, desta vez, o Brasil será protagonista. No atual contexto energético e de suporte de vida, em que as projeções apontam o Brasil como a grande nação de um futuro bem próximo, a composição de forças ocultas - mas não tão ocultas assim, pois sabemos de onde emanam - fazem-se movimentar, em conluios, no interior das instituições secretas, objetivando atingir os seus desideratos mais malignos. Estas "novas ordens" vêm sendo implantadas desde as mais priscas eras, o que tem possibilitado, a estas dinastias, o domínio quase invisível do mundo. Todos aqueles que ousaram desafiar tal poder foram literalmente pulverizados. E usam a historiografia oficial para mascarar a verdade e imbecilizar as populações. Compramos, para nossos filhos, livros didáticos, custando os olhos da cara, que ensinam mentiras como verdades e ainda enriquecem seus promotores. Atualmente, todas as informações que circulam através da mídia, ou são inverdades ou sofreram algum tipo de manipulação. Há uma desatrosa característica humana de acreditar piamente em tudo que é veiculado pelos meios de comunicação de massa. Tal característica, aliada à ignorância dos povos em relação ao plano, facilita sobremaneira a ação nefasta desses famigerados inimigos da humanidade. A coisa é realmente mais séria do que parece. Entre eles também não há unanimidade nem coincidência de objetivos. Sendo assim, lutam por um poder que, no final das contas, não pertencerá a ninguém. Destarte, sobrarão apenas as ruínas deste planeta. Tais elucubrações nos levam à certeza de que a extinção da humanidade é o objetivo final. O Brasil é, neste momento, a bola da vez. Devemos ficar atentos, de mangas arregaçadas, prontos para a luta. Primeiro começaram com o bombardeio de palavras e acusações. Mais tarde passarão aos embargos e boicotes e, posteriormente, às ações físicas propriamente ditas. Se não tivermos meios para defender nosso patrimônio, o nosso país, um dia, será algo bem diferente do que conhecemos agora. Devemos exigir desse governo inerte o fortalecimento total de nossas forças armadas, para defesa e ataque. Devemos exigir o nosso submarino nuclear na água já. Devemos revogar a subscrição do tratado de não proliferação de armas nucleares e construir nossas bombas atômicas. Devemos finalizar nosso programa de mísseis balísticos e armá-los com ogivas nucleares. Só assim eles respeitam. É como a marca daquele antigo sabonete: "Vale Quanto Pesa".

 
At sábado, 21 de junho de 2008 às 17:51:00 WEST, Blogger Linard said...

A internacionalização da Amazônia já começou com a compra por parte de empresários estrangeiros de grandes porções de terras dentro do território brasileiro, principalmente na região amazônica.
Um exemplo disso é o empresário sueco Johan Eliasch que adquiriu de uma só vez 160.000 hectares.
Mas não é só por este motivo que devemos ver a internacionalização da Amazônia. Johan Eliasch é apenas um dentre muitos outros, sob o falso pretexto de proteger a floresta e seus habitantes (Nações indígenas).
Outra questão para qual devemos abrir bem nossos olhos é a questão das nações indígenas que vivem em solo brasileiro. Inúmeras ONG´s estão se infiltrando em tribos de várias etnias com a intenção de prestar assistência aos povos indígenas. Mas o que ninguém sabe é que por baixo destas boas intenções, está o financiamento de governos estrangeiros de olho na região amazônica.
Partindo do principio que toda nação é soberana, não demora e algumas ONG´s começarão a incentivar e financiar povos indígenas a levantar bandeiras de independência dentro de suas reservas para que depois, com o intuito de prestar ajuda a estas nações, possam se apoderar do que é nosso.
Aos que estão na elite do poder, deve ser alertado para que abram os olhos e vejam a questão com mais carinho. Aos poucos estão levando o que é nosso e logo estarão tomando posse.
Ao povo brasileiro, resta alertar para que fiquem atentos e é bom lembrar também que o "Todo poder emana do povo", logo, grande parcela de responsabilidade é nossa.

 
At sábado, 21 de junho de 2008 às 17:53:00 WEST, Blogger Linard said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At segunda-feira, 29 de setembro de 2008 às 17:04:00 WEST, Blogger carlos said...

Têm alguem preocupado com o futuro poder belico do Brasil?
Se estão com medo do Brasil possuir um dia armas nucleares, ou de destruição em massa, não se preocupem, pois o Brasil já possui a temivel "BOMBA ATOMICA", e mesmo que não possuisse uma arma de destruição em massa como quimica ou biológica, eu sei fabricar.
Um abraço! Qualquer duvida entre em contato comigo.

 
At segunda-feira, 29 de setembro de 2008 às 17:04:00 WEST, Blogger carlos said...

Têm alguem preocupado com o futuro poder belico do Brasil?
Se estão com medo do Brasil possuir um dia armas nucleares, ou de destruição em massa, não se preocupem, pois o Brasil já possui a temivel "BOMBA ATOMICA", e mesmo que não possuisse uma arma de destruição em massa como quimica ou biológica, eu sei fabricar.
Um abraço! Qualquer duvida entre em contato comigo.

 
At segunda-feira, 29 de setembro de 2008 às 17:05:00 WEST, Blogger carlos said...

Têm alguem preocupado com o futuro poder belico do Brasil?
Se estão com medo do Brasil possuir um dia armas nucleares, ou de destruição em massa, não se preocupem, pois o Brasil já possui a temivel "BOMBA ATOMICA", e mesmo que não possuisse uma arma de destruição em massa como quimica ou biológica, eu sei fabricar.
Um abraço! Qualquer duvida entre em contato comigo.

 
At quarta-feira, 15 de outubro de 2008 às 15:36:00 WEST, Blogger phobus said...

Intromissões externas -E.U., Russia, China, India, Paquistão, Irã dentre outros , possuem armas de grande poder de destruição, e alguns até se intrometem e espionam das mais diversas maneiras. Dentre esses paises, o Brasil, em população, território e riquezas é o que menos tem poder militar. São escandalosas as intromissões externas nos assuntos que somente dizem respeito a nossa soberania. Ainda não entendi do por que tanta critica quanto ao Brasil ter meios de defesa compatível com seu território,população e riquezas e ainda mais surpreendente é constatar a tamanha subserviência e conivência de nossos “políticos” que deveriam zelar por nossa soberania, unidade nacional e defesa. Me parece que parte dos nossos políticos viveram, vivem ou viajam muito para o exterior e esqueceram o que é zelar pelos interesses de uma Nação Soberana e mais pelos seus interesses particulares e patrocinadores. Parece mais piadas de mal gosto os responsáveis pelos interesses da Nação falarem em adquirir aviões para serem entregues em 2014, quando novas tecnologias de 5a. geração já estarão equipando outras Nações. É mais viável cancelar o FX2 e investirmos em eficientes baterias antiaéreas; mísseis de 5a geração para equipar a FAB e para derrubarem satélites espiões( tipo astros III), VANT e uma frota de quinze submarinos. O que antecede em uma invasão geralmente são ataques pelo ar e para contra ataque se poderia usar mísseis de longo alcance.

 
At quinta-feira, 16 de outubro de 2008 às 19:07:00 WEST, Blogger marka said...

Gente, O Brasil não é Portugal não. O Brasil é um dos maiores países do mundo, rico em tudo e agora tem até petróleo. E este petróleo está no mar.
Sabe o que é: depois que Dom Sebastião morreu e enterrou a dinastia de Avis, os Bragança entraram e levaram Portugal a abdicar de ser uma das maiores nações do mundo. Lembrem-se as caravelas e o conhecimento de nagegação eram a vanguarda da ciência e tecnologia no século XVI. Com os Bragança, Portugal perdeu este papel. Passou a ser uma semi-colônia, primeiro do Reino Unido, depois dos Norte Americanos, atyé se tornar periferia da Comunidade Européia.
Embora ex-colônia portuguesa, O Brasil prefere o modelo Sueco. Aquele país do norte, desde o início do século XX, sempre investiu em tecnologias militares de ponta. Mais do que o efeito militar, o conhecimento adquirido serviu para fortalecer as empresas suecas. Algumas delas, como a Saab e a Volvo se tornaram corporações de classe mundial.
É correto o Brasil ir por este caminho. Dominar tecnologia de ponta tem benefícios muito além dos meramente militares.
Seguindo este caminho o Brasil que já é grande e poderoso será ainda maior. Quem sabe se no futuro os portugueses não decidirão se incorporar ao Brasil.

 
At domingo, 8 de fevereiro de 2009 às 06:13:00 WET, Blogger André Luís said...

Referente às nossas forças armadas, que na minha opinião são modestas, em comparação da grandiosidade de nosso país, por termos a 10º maior economia do mundo com um PIB superior a US$ 1 trilhão, ainda que não possuamos uma espetacular forças armadas, é evidente que a Bolívia não teria a mínima condição, tanto econômica, quanto bélica, de conseguir se defender de forma adequada. Agora eu digo, se as nossas forças armadas são modesta, imagina se elas fossem compatíveis com a nossa economia, território, população e infra- estrutura industrial, etc, seria uma das maiores forças armadas do mundo, aliás, já é, caso deseje, poderá ver nesse site estrangeiro que disponibilizo a vcs, que nossas forças armadas são entre as 10 maiores do mundo.

http://www.globalfirepower.com/index.asp

Agora, quando vc quiser criticar nosso país, antes de qualquer coisa, veja o seu e, depois de fazer as comparações necessárias, poderá, caso seu país tenha números para isso, criticar a vontade da forma que desejar. Não escreva besteiras como estas, usando suposições que não a nenhuma relação com o que vc diz, entende.

E o pior disso tudo, é que vc é português. A propósito, o quê vc aprendeu quando cursava a faculdade ? Nada ? Deve ser nada com certeza !!!!

 
At quarta-feira, 18 de março de 2009 às 17:27:00 WET, Blogger Pernóstico said...

Por favor, vamos parar de criticar o Português do blog e nos concentrar em melhorar o Português dos posts.

grato

 
At segunda-feira, 31 de maio de 2010 às 13:25:00 WEST, Blogger paulo Sérgio said...

Vou ser breve em meu comentário, e de antemão digo que sou um cidadão de paz, que prefere a bandeira branca hasteada em nossos lares, que a bandeira vermelha de guerra e destruição sobre nossas terras. Mas, ao ver algumas opiniões de pessoas, que preferem não enxergar o horizonte que está ao alcance dos olhos, e vamos ser realistas... o programa nuclear brasileiro deveria ser levado a sério, sim. O Brasil como potencia econômica global, com uma das maiores riquesas naturais do mundo e com tecnologia de ponta em várias áreas de pesquisa, não pode ficar a mercê de demagogias, que somos um país pacífico alheio aos conflitos militares no planeta. Hoje, mais do que nunca os países estão em alerta para uma eventual intervenção pela força de outras potencias. Assim, o que garantiria a nossa proteção em caso de uma eventual intervenção militar, é a supremacia bélica. Não somos demagogos em falar de igualdade militar com as grandes potencias, mas sim de assegurar a nossa capacidade de fabricar armas nucleares devastadoras, que é o que nos afastaria os nossos inimigos em conflitos futuros que porventura, poderão surgir. Basta recordarmos a 2 Guerra mundial, os mais fracos fora subjugados sobre a dominação das forças alemãs. O que eu escrevo aqui, no momento, pode ser até desconsiderado, de acordo com a nossa política internacional... mas ninguém sabe o futuro, e se os brasileiros, que estão cansados de roubalheira, dinheiro público escondido em cuecase nas meias, conivencia com interesses particulares de políticos, escolherem uma nova forma de governo que fosse de encontro ao interesse das potencias ocidentais. Enfim, o simples fato de transformarmos em uma potencia militar no hemisfério sul, com capacidade de defender com tecnologia de ponta o seu território contra incursões estrangeiras, deixaríamos mais seguros dessa dominação e lembre-se que a história se repete e não vai ser diferente com a gente.(os nossos vizinhos estão se armando e com qual objetivo? parceria EUA X Colômbia, política chavista ...). Acorda brasileiros...

 
At sábado, 23 de outubro de 2010 às 00:06:00 WEST, Blogger Ministério Público said...

Sou português de mãe brasileira. Eça de Queirós e Jorge Amado são alguns dos grandes da literatura, que cultuo como Mestres. Angeli e Laerte são, para mim, deuses na Terra.
Tenho muitos amigos brasileiros, além de muitos familiares.
Tem brasileiro burro e tem brasileiro inteligente; tem português burro e português intelgente. O que falta ao Brasileiro, tem o português de sobra; o que falta ao Português, tem o Brasileiro de sobra. Não entendo a estupidez de comentários destes.

Depois de ouvir tanto chauvinismo e preconeito por parte de muitos destes meus irmãos brasileiros, fiquei convencido 1) que muitos brasileiros, ainda que não possuam tendências imperialistas, demonstram toda a arrogância e topete de qualquer Império, e que 2), muitos desses Brasileiros, "se achando", não sabem mesmo escrever, quanto mais falar (vide supra Enrique e etc.)
A todos os meus irmãos brasileiros a quem este meu comentário NÃO é dirigido, peço desculpa e mando aquele abraço!

VOTA TIRIRICA

 
At sexta-feira, 10 de dezembro de 2010 às 04:47:00 WET, Blogger cristiano killer said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At sexta-feira, 10 de dezembro de 2010 às 04:51:00 WET, Blogger cristiano killer said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At sexta-feira, 10 de dezembro de 2010 às 04:52:00 WET, Blogger cristiano killer said...

bom pra começar gostaria de comprimentar a todos

e para continuar achei super interessante esse poste sobre
nossa marinha que para mim particularmente é um orgulho dizer
sou brasileiro e essa e a marinha do brasil.
como bom patriota nao acato falta de
respeito com o meu querido pais
vou para europa a 5 anos conheço muito bem portugal assim como os portugueses,como lido no ultimo poste ninguem posta aqui para ganhar premios e sim para mostrar seus pensamentos a todos, entao eu creio que nao importa muito a forma que a pessoa escrever mas voltando ao assunto principal concordo plenamente com os meus amigos brasileiros que postaram anteriormente como este sendo um comentario ridiculo e asqueroso a soberania de um povo que tem seu nome nos 4 cantos do mundo.
E se estiver correto o que diz nesse sait aqui somos a oitava potencia militar do mundo e me desculpe a arrogancia mas portugal nem aparece na lista dos 30 mais armados do mundo!

http://www.globalfirepower.com/index.asp

Segundo o governo brasileiro as forças armadas receberam um investimento de cerca de R$50,5 bilhoes de reais na chamada estratedia nacional de defesa nao vou citar fontes porque qualquer pessoa com capacidade para acessar qualquer buscador na internet podera confirmar isso,e seguindo le um artigo interessante intitulado "A South American Arms Race?" (http://www.time.com/time/world/article/0,8599,1697776,00.html) para terminar gostaria que o dono do blog relacionasse os investimentos brasileiros tanto os militares quanto os civis, pois moro no parana e conheço santa catarina o resto do brasil nao e conheço varias cidades portuguesas lisboa,faro e complementando as favelas no rio de janeiro que foram feitas obras do pac(programa de aceleraçao do crecimento tem uma arquitetura talvez pouco melhor que a cidade de faro e olhao por exemplo que eu conheço pessoalmente sem ofeças de minha parte como patriota e defensor de meu pais minha terra mae onde moro e tenho meus bens gostaria que qualquer pessoa que tenha alguma objeçao contra a soberania brasileira que compare por exemplo todos os investimentos do governo federal aqui no brasil e calcule se seu pais poderia injetar dinheiro no FMI modenizar suas forças armadas e sem contar seus investimentos civis no pais sem ser dinheiro da uniao europeia hoje é 10/12/2010 fazem 15 dias que fui para para europa e passei por portugal e como na irlanda a coisa por la esta bem feia.

obrigado

 

Enviar um comentário

<< Início do Blog